Geografia Humanista ou Humanística?

“Antes de continuarmos nossa incursão pela filosofia, no entanto, gostaríamos de discutir a adequação do termo “Humanista” que estamos utilizando desde o inicio do trabalho. O lei­tor acompanhou a discussão sobre a adequação do termo que Relph, Tuan e Buttimer tiveram, e que reproduzimos no capítulo 11. Nós o consideramos adequado e por esta razão estamos utilizando-o. No entanto, duas considerações devem ser feitas: inicialmente uma diferenciação da geografia dos humanistas, que se refere ao humanismo do início da idade moderna e poderá ser esclarecida com a leitura de Dainville (1969) ; a outra se refere à utilização do termo humanística, que é empregado pelos ingleses e espanhóis; ou humanista empregado pelos franceses e italianos.

Uma consulta à “Enciclopédia Mirador Internacional “ nos en­sinará que a palavra “Humanista” foi incorporada ao português em 1613, a partir do italiano umanista, de 1490. A palavra “Huma­nística” vem do alemão “Humanistisch”, de 1784, pelo inglês “Humanistic”, de 1845, tendo sido incorporada ao espanhol e ao português já no século XX, sendo que estas são as duas únicas línguas latinas que a possuem.

Consultando o “Novo Dicionário Aurélio da Língua Portugue­sa” (Ferreira, 1986) veremos que podemos utilizar tanto o termo humanista quanto humanística. O termo humanista tem vários significados, como veremos:

HUMANISMO. S.f.

1 – FILOS. Doutrina ou atitude que se situa expressamente numa perspectiva antropocêntrica, em domínios e níveis diversos, assumindo com maior ou menor radicalismo as consequências daí decorrentes. Manifesta-se o humanismo no domínio lógico e no ético. No primeiro, aplica-se às doutrinas que afirmam que a verdade ou falsidade dum conhecimento se definem em função de sua fecundidade à ação humana; no segundo, aplica-se àquelas doutrinas que afirmam ser o homem o criador dos valores morais, que se definem a partir das exigências concretas, psicológicas, históricas, econômicas e sociais que condicio­nam a vida humana.

2 – Doutrina e movimento dos humanistas da renascença, que ressuscitaram o culto das línguas e literaturas greco-latinas.

3 – Formação do espírito humano pela cultura li­terária ou científica.

HUMANISTAS. S. 2g.

1 – Pessoa versada no estudo das humanidades.

2 – partidário do humanismo filosófico.

Adj. 2g.

3 – Humanístico.

HUMANÍSTICO. Adj.

1 – Concernente ao humanismo, ou aos humanistas; humanista.

2 – Próprio do humanista; humanista. (FERREIRA, 1986)

O dicionario Webster nos mostrará que o termo em português tem praticamente os mesmos significados que em inglês:

HUMANISM. N.

1 – Humam nature or disposition; Humanity.

2 – The study of the humanities; polite learning; esp. the learning or cultural impulse imparted by those who brought the greek and romam classics into new vogue during renaissance.

3 – A system, mode, or attitude of thought or action centering upon distinctively human interests ori deal, esp. as contrasted with naturalistic or religious interests.

4 – A contemporary culture belief calling itself religious but substituting faith in man for faith in god.

HUMANIST. N.

1 – A promoter or advocate of the Humanism of the renaissance.

2 – One who pursues the study of humanities.

3 – An advocate of philosophical humanism.

4 – An adherent of Humanism; one whose belief consists of faith in man and devotion to human well-being.

HUMANIST.  Adj.  Characterized by humanism; human; humanistic.

HUMANISTIC. Adj.

1 – Of or pertaining to humanity.

2 –Of or pertaining to Humanism.

3 – Of or pertaining to humanism. (Webster’s New International Dictionary, 1953)

Concluímos que no inglês e no português podemos utilizar tanto Humanista quanto Humanística. No entanto, em português o primeiro é adjetivo comum de dois gêneros e o segundo não. Es­colhemos o primeiro, pois se associa imediatamente ao substan­tivo “Humanista”, que é associado em seguida ao humanismo filosófico e ao estudo das humanidades, além de ser de emprego muito mais antigo em nosso idioma. O caráter substantivo do termo “Humanista” é muito importante, pois indica uma corrente da geografia nitidamente diferenciada de uma geografia positivista e estruturalista, (e não podemos falar geografia positivística ou estruturalística). O termo “Humanística” em português, teria um sentido por demais adjetivo, e até caricato, dando a idéia, na melhor das hipóteses, de um subcampo de algum campo da geogra­fia, como da geografia cultural, por exemplo. Acreditamos que a tradução pura e simples do inglês “Humanistic” para o português “Humanística”, nesse caso é inadequada, razão pela qual optamos por traduzir Humanistic Geography para Geografia Humanista.”

Texto extraído de HOLZER, Werther. A geografia humanista – sua trajetória de 1950 a 1990. 1992. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.