Blog

Novo número da Geograficidade: v. 11, n. 1 (2021)

Acaba de ser colocado no ar o novo número da Revista Geograficidade, correspondente ao verão de 2021 (v.11, n.1).

O número conta com 6 artigos inéditos, 2 resenhas e 1 experimentação.

Este número, portanto, é mais um convite à reflexão! Convidamos a conferi-lo.
O número pode ser acessado clicando neste link.

Diálogos Humanistas VI: Programação

Acontece nos dias 04 e 05 de dezembro de 2020, o VI Diálogos Humanistas! O evento será totalmente virtual e contará com três espaços de diálogos e uma palestra.

A programação completa pode ser visualizada no blog do NPGEOH.

O evento será gravado e disponibilizado no canal do NPGEOH no Youtube! Gostaria de participar como ouvinte? Envie e-mail para npgeoh@gmail.com 

Webconferência: Geografia e Fenomenologia: perspectivas teórico e metodológicas

O Laboratório de Espaço, Memória e Cultura Aplicados a Educação (LEMCAE) da Universidade Regional do Cariri (URCA), em parceira com a Escola de Saberes de Barbalha (ESBA) e com o apoio da Pró-reitoria de Extensão (ProEx/URCA), da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PRPGP/URCA) e do Departamento de Geociências (DEGEO/URCA), promoverá no dia 09 de Dezembro, quarta-feira, a partir das 19h (horário de Brasília), a Webconferência: “Geografia e Fenomenologia: perspectivas teórico e metodológicas”, tendo por convidados: Prof. Dr. Angelo Serpa (UFBA); Prof. Dr. Sylvio Fausto Gil Filho (NUPPER/UFPR); com a mediação do Prof. Dr. Paulo Wendell Alves de Oliveira (LEMCAE/URCA).

A Webconferência terá acesso aberto para participação, mediante inscrição no evento através da plataforma sympla. A inscrição pode ser feita neste link.

Haverá certificação para os participantes inscritos no evento e emitido pelo site SYMPLA!

PITADAS FENOMENOLÓGICAS DA SEXTA – VIAGEM AO ARAGUAIA, VIAGEM DE SONHOS

Profª Drª Lúcia Helena Batista Gratão (UEL) é inspiração. Sua escrita e sua pesquisa nos atiça a pensar uma geografia que não só “use” a poética, mas seja poética. De sensibilidade pouco comum nos ambientes acadêmicos e, ao mesmo tempo, de uma capacidade de abraço profundo aos temas e sujeitos envolvidos em suas pesquisas, busca o essencial como criativo do fazer geográfico.

Seus caminhos de rio nos levam ao Araguaia, não como alguém do lugar, mas uma viajante – por assim dizer, se colocando na posição de aprendente, antes de uma grade conceitual prévia que represe as águas e as vidas do Araguaia, prefere a posição do deixar vazar, banhar-se nessas águas, em franco diálogo com Gaston Bachelard, permitindo-se filosofar a geograficidade navegante, viajante.

Para encerrar os encontros este ano, o Grupo de Estudos Livres de Fenomenologia e Geografia Amazônica (PPGEO-UFPA/IFPA – Campus Belém) não poderia ter melhor companhia nesta viagem. Convidamos a todxs nesta embarcação de sonhos pelas águas do Araguaia – com mediação do Prof. Msc. Felipe Kevin da Silva – através da experiência geopoética de Lúcia.

O encontro pode ser acessado neste link. A senha é: imaginario. Os textos sugeridos para o acompanhamento da fala podem ser encontrados neste link, via Google Drive.

Haverá certificados para o encontro.

PITADAS FENOMENOLÓGICAS DA SEXTA – PONTES PARA LUGARIDADE

Até que ponto o lugar ainda é produtivo de compreensão da realidade contemporânea? Um conceito menor, alguns dizem. Que cabe (e alguns teimam em confundir) dentro do território, da região e do espaço. Categoria que se equilibra entre o pertencimento quase provinciano e a abertura para multiplicidade politicamente programática. Experiência contaminada por seu inerente “dobrar-se sobre si” esferológico na redondidade do ser ou a tentativa de fazer-se na circunstância do encontro para, talvez, se tomar um café. O café estabelece o lugar. Muito já foi dito, escrito, vivido, comunicado, equivocado sobre o lugar. E quando pensamos que nada mais poderia ser dito o LUGAR se desdobra, se adensa, sedimenta conexões de aprendizados geográficos insuspeitos, corrobora (ou escapa de?) posições desejantes de um ONDE para ESTAR e SER.

O Prof. Dr. Eduardo Marandola Júnior (UNICAMP) ousa pensar a lugaridade como topologia do ser, anuncia assim a ponte – figura eternizada por Heidegger, o oculto da sua Quadratura Cósmica? – como o ENTRE que é inescapável a todo o ser-no-mundo, portanto, sua condição mais radical, ainda não enfrentada em sua plenitude pela Geografia.

O webencontro acontecerá, excepcionalmente na quinta-feira, neste link às 14h do dia 19/11/2020. A senha de acesso é: lugaridade.
O texto-ponte pode ser encontrado neste link.

HAVERÁ EMISSÃO DE CERTIFICADO