Lançamento de livro | “A geografia humanista: sua trajetória 1950-1990”

O livro “A geografia humanista: sua trajetória 1950-1990” (EDUEL, 2016), de autoria de Werther Holzer (UFF), será lançado durante o VII Seminário Nacional sobre Geografia e Fenomenologia, nos dias 25 e 26 de outubro de 2016.


holzerDos estudos clássicos da geografia histórica, da geografia cultural e da percepção ambiental, nasce a geografia humanista: campo preocupado em religar a ciência geográfica com a tradição das humanidades. Geografia Humanista: sua trajetória 1950-1990 é um minucioso testamento analítico desse campo que ressignificou os estudos de lugar e de paisagem, colocando a percepção do espaço e do ambiente, o espaço vivido, a cognição, a arte, os sentimentos, a existência e a experiência na pauta geográfica. Além de contribuir para a renovação da geografia, possibilitou sua inserção nos debates contemporâneos a partir das filosofias dos significados, especialmente a hermenêutica, o existencialismo e a fenomenologia.


Para maiores informações sobre a publicação, visite o site da editora – onde é possível, ademais, adquirir uma cópia.

Anúncios

Lançamento de livro | “Planejamento ambiental: o desafio da interação sociedade/natureza”

O livro “Planejamento ambiental: o desafio da interação sociedade/natureza“, de autoria de Tereza Coni Aguiar (Consequência Editora, 2016), será lançado durante o VII Seminário Nacional sobre Geografia e Fenomenologia, nos dias 25 e 26 de outubro de 2016.


coniEste livro nos brinda com um levantamento incessante e profundo sobre planejamento e meio ambiente, entre nós, perpassando por uma análise metodológica apoiada em inquietações sociais e econômicas, com experiências de campo e com aplicações em vários locais e em diversas épocas, se desdobrando em semeaduras de investigações que podem ser retomadas ou replicadas. Refletir ou relatar sobre a temática desta obra magnífica é uma contribuição ímpar, atual e necessária. Pois suas proposições são abrangentes e investigativas desde a evolução teórica/conceitual e a abordagem interdisciplinar, passando por uma visão global, até as vantagens de sua aplicação. É uma releitura de uma posição. É o reencontro da busca de um aprimoramento. É a resposta a tantos anos de idas e vindas ao campo para afinar os instrumentos de medida. É o levantamento contínuo de novas bibliografias. Foram anos de dedicação, de labor e de espera. A geógrafa e pesquisadora Tereza Coni Aguiar estabelece um diálogo humanista entre o planejar e o habitar uma região. Diálogo esse que inclui o social, o econômico e o ambiental, entrecruzando ideias e fatos com cores humanas; desfazendo limites rígidos e acadêmicos. Ao procurar veredas mais afetivas e vivas, quebra a frieza e a imparcialidade que separam o planejador daqueles que recebem os efeitos do planejamento.

Lívia de Oliveira
Professora Emérita de Geografia (Unesp – Rio Claro)


Para maiores informações sobre a publicação, visite o site da editora – onde é possível, ademais, adquirir uma cópia.

“Espaço e lugar” publicado!

espaço e lugarJá está disponível pelo site da Eduel, a reedição em português de “Espaço e Lugar”, de Yi-Fu Tuan. (clique aqui para adquiri-lo)

Assim como “Topofilia”, reeditado pela Eduel no ano passado, “Espaço e lugar” nunca havia sido reeditado, desde seu lançamento pela Difel em 1983. Seu relançamento significa muito no momento atual de difusão da abordagem humanista em geografia e suas repercussões interdisciplinares.

O livro terá lançamento durante o IV Seminário Nacional sobre Geografia e Fenomenologia, dia 25 de Outubro de 2013, na Universidade Federal Fluminense, em Niterói.

“Espaço e lugar” – próximo lançamento

Está em preparação para ser lançado durante o IV SEGHUM (Seminário Nacional sobre Geografia e Fenomenologia) a reedição da Eduel de “Espaço e lugar: a perspectiva da experiência“, de Yi-Fu Tuan.

Abaixo, a prévia da capa, por Marcos da Matta.

Imagem

Seminário Geografia, lugar e meio ambiente: contribuições de Yi-Fu Tuan

cartazNo dia 1º de março acontecerá, em Londrina (PR), o Seminário Geografia, lugar e meio ambiente: contribuições de Yi-Fu Tuan, na Sala de Multimeios, do Centro de Ciências Exatas, na Universidade Estadual de Londrina.

Numa promoção conjunta do Programa de Pós-Graduação em Geografia (CCE/UEL) e deste Grupo de Pesquisa Geografia Humanista Cultural (UFF-CNPq), o encontro contará com uma mesa-redonda mediada por Ruth Youko Tsukamoto (UEL), com a participação de Lívia de Oliveira (Unesp-Rio Claro), responsável pela tradução de “Topofilia”, ora reeditado, Lucia Helena Batista Gratão (UEL) e Eduardo Marandola Jr (Unicamp), conforme programação disponível no cartaz do seminário.

Mesa-redonda que antecederá o lançamento oficial da reedição de “Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente“, de Yi-Fu Tuan, pela EDUEL, e de “Qual o espaço do lugar? Geografia, Epistemologia, Fenomenologia“, organizado por Eduardo Marandola Jr., Werther Holzer e Lívia de Oliveira, pela Editora Perspectiva.

Para maiores informações e inscrições:

Secretaria do Departamento de Geociências (CCE/UEL)
(43) 3371-4246
dgeo@uel.br

Grupo de Pesquisa Geografia Humanista Cultural
geografiahumanista@gmail.com
geografiahumanista.wordpress.com

Topofilia reeditado!

topofiliaAcaba de “sair do forno” a nova edição do livro Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente“, do geógrafo sino-americano Yi-Fu Tuan.

O livro, publicado originalmente em 1974, nos Estados Unidos, foi publicado no Brasil em edição única pela Difel, em 1980. Traduzido por Lívia de Oliveira (UNESP-RC), o livro é um clássico da geografia mundial, e tem um papel especial na difusão da geografia humanista e dos estudos de percepção do meio ambiente, tanto para a geografia quanto para uma grande área interdisciplinar.

Desde o início dos anos 2000 cresceu um esforço para conseguir a reedição do livro, que finalmente encontrou morada na Editora da Universidade Estadual de Londrina.

Saiba mais clicando aqui.

“Qual o espaço do lugar?” Lançamento de livro

Acaba de ser publicado pela Editora Perspectiva o livro Qual o Espaço do Lugar? Geografia, Epistemologia, Fenomenologia, organizado por Eduardo Marandola Jr., Werther Holzer e Lívia de Oliveira.

O livro será lançado durante o III Seminário Nacional sobre Geografia e Fenomenologia, que acontecerá neste dia 14 de Setembro de 2012, na Universidade Federal Fluminense (Niterói).

A obra conta com contribuições de  autores brasileiros e estrangeiros, geógrafos ou não, de várias tendências e orientações teóricas. Entre os ensaístas, estão, além dos organizadores, Edward Relph, Eguimar Chaveiro, J. Nicholas Entrikin, João Baptista Ferreira de Mello, Jörn Seemann, Ligia Saramago, Marcia Manir Miguel Feitosa, Maria Lúcia de Amorim Soares, Vincent Berdoulay e Wenceslao Machado de Oliveira Jr.

 

Saiba mais sobre o livro, e como adquiri-lo, clicando aqui.

SOBRE O LIVRO

“Lugar” é um espaço fundamental de ocupação da vida humana. Todos querem tê-lo, todos lutam por ele. Renunciar a ele, ninguém deseja; é um desprendimento que causa estranheza e até alienação, pois chega a ser uma renúncia a si próprio. Assim sendo, propõe-se desde logo: o que é lugar? Qual o espaço, não só físico, do lugar? No mundo contemporâneo, essa questão é tanto mais potencializada pelos processos que a nossa existência passa em seu contexto. E surge uma indagação dilemática: entrincheirar-se numa posição conservadora, avessa à mudança, será uma maneira de defender o seu lugar próprio? Ou desprezá-lo em seu localismo, significará enquistar-se em uma atitude hegemônica globalizante? Tais definições de fundo, que sempre estiveram presentes no debate geográfico, em seu prisma filosófico e social, na atualidade encontram-se na crista de nossa problemática geo-humana. A enfrentá-las é o que se propõem os ensaios deste livro. Partindo de uma abordagem epistemológica pela análise fenomenológica do tópos geográfico, e em diálogo com outras formas e matrizes do pensamento e da pesquisa nesse campo da investigação científica, teceu-se aqui, em tela conjunta, uma obra interdisciplinar, que busca nas epistemes detectadas as vias de acesso a horizontes alternativos e ampliados de compreensão do ser-no-mundo, focalizado em sua perspectiva presente em seu contexto geográfico e social.
Assim, se a Geografia Humanista retirou o “lugar” dos esquecidos rincões passados, enquanto conceito, a sua pertinência ao universo da contemporaneidade requer um esforço interdisciplinar de interpretação, para dar conta adequadamente das transformações em curso e dos novos âmbitos emergentes no plano da sociedade e de seus embasamentos geográficos. Não se trata de uma tentativa de superação, porém de um empenho conjunto de abrir-se para uma nova visão do fenômeno estudado, do entendimento de seu ser e de suas maneiras de ser, da experiência que proporcionam e do lugar que ocupam em sua condição de modos geográficos de existência.