Divulgação | GT “Fenomenologias da experiência geográfica” (XII ENANPEGE, 2017)

Este ano, durante o XII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia (XII ENANPEGE) – que ocorrerá na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em outubro – teremos novamente o Grupo de Trabalho “Fenomenologias da experiência geográfica”, com coordenação de Prof. Dr. Eduardo Marandola Jr. (Unicamp), Prof. Dr. Sylvio Fausto Gil Filho (UFPR), Profª. Drª. Jeani Delgado Paschoal Moura (UEL), Profª. Drª. Elis Miranda (UFF).

A ementa do GT (#17) está disponível no site oficial do evento. O prazo para envio dos trabalhos pode ser acompanhado na primeira circular, disponível para download aqui.

Convidamos a todos para participar conosco desse novo encontro e solicitamos ampla divulgação entre seus contatos.

______
SERVIÇO

Evento: XII ENANPEGE — XII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia
Data: 12 a 15 de outubro de 2017
Local: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Endereço:  Avenida Paulo Gama, 110, Farroupilha, Porto Alegre, RS. 90040-060.

910177_b4c187c7a02241fb8db77e23f8060a9amv2-png_srz_412_320_85_22_0-50_1-20_0-00_png_srz

Anúncios

Geografia e Literatura terá GT na ANPEGE 2013

Encerra-se hoje o prazo para envio de propostas para o Encontro da Associação Nacional de Pequisa e Pós-Graduação em Geogafia (ENANPEGE), que se realizará em Campinas, em Outubro. Entre os Grupos de Trabalho, temos a proposta abaixo, que está relacionada diretamente às linhas de pesquisa do Grupo de Pesquisa Geografia Humanista Cultural.

GT GEOGRAFIA E LITERATURA: INTERLOCUÇÕES POSSÍVEIS
Coordenadores:
Cláudio Benito Oliveira Ferraz (Unesp de Presidente Prudente/UFGD)
Eduardo Marandola Jr. (UNICAMP)
Eguimar Felício Chaveiro (UFG)
Júlio César Suzuki (USP)

Ementa:
O grupo de trabalho “GEOGRAFIA E LITERATURA: interlocuções possíveis” objetiva apresentar as ricas experiências de trabalhos efetivadas pelos membros e interpretar, o quanto possível, caminhos elaborados por outros autores brasileiros e estrangeiros que entranham essa questão. Verificar-se-á o modo como a aproximação entre Geografia e Literatura se deu – se dá e pode se ocorrer – no plano teórico e metodológico. Além disso, tentará escrutinar os sentidos políticos dessa aproximação, especialmente focando a leitura dos espaços, dos lugares, das paisagens e territorialidades. Um pressuposto será basilar: compreender que o trabalho geográfico faz uso de mecanismos simbólicos e lingüísticos, bem como imagéticos, imaginativos e estéticos, próprios do labor literário. Em outros termos: a geografia é uma narrativa do mundo. Da mesma maneira, os enredos, as situações, as estruturas, as narrações literárias e suas imagens fazem uso de referências espaciais. É respeitando a autonomia de ambos, separando-os e, portanto, não os confundindo, que a aproximação pode se fundir nisso: na compreensão mais profunda das relações sociais e humanas e seus desígnios espaço-temporais.